src="http://pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js">
Google

14.12.06


Ele estava inconsciente sobre uma maca no chão, tomando soro pela pata. Ajoelhei-me e passei os dedos por seu pêlo, do jeito que ele gostava. Passei a mão pelas suas costas. Ergui cada uma de suas orelhas com a mão — aquelas orelhas doidinhas que haviam causado tantos problemas todos aqueles anos e que nos haviam custado o resgate de um rei — e senti seu peso sobre meus dedos. Abri seus lábios e observei seus dentes gastos. Peguei uma das patas dianteiras e a comprimi em minha mão. Então, encostei minha testa na dele e fiquei ali sentado por algum tempo, como eu se pudesse telegrafar uma mensagem através de nossos crânios, da minha mente para a dele. Queria que ele soubesse de algumas coisas.

O livro é divertido, cheio de humor e muito agradável especialmente para quem ama cães. É-o de princípio até...perto do final...onde quem o ler, precate-se...pode sensibilizar a bit too much (pelo menos for me ;))...sem fantasias, sem ficção...mas apenas na sequência de uma história real de vida que é.
Só fica a certeza que os cães são lindos, queridos, maravilhosos, adoráveis...lindos.

3 Comments:

Blogger Discípulos said...

Um Feliz e Santo Natal e um Ano de 2007, Repleto de Bênçãos do Céu e das Graças do Deus Menino.

Deus é Amor.

Os Discípulos

14 dezembro, 2006 12:11  
Blogger J said...

Nunca tive nenhum animal de estimação, infelizmente, mas admiro o amor e a relação estabelecida entre dono e animal.

Vou ler o livro, e agradeco o conselho.

Um grande beijinho

16 dezembro, 2006 00:47  
Blogger gota de chuva said...

Eu, pelo contrário, nunca vivi sem a presença de cães por perto (não necessariamente dentro de casa). E só posso dizer que é como conviver com uma criança, sempre com atenção, sempre a corrigir as traquinices, reconhecer sorrisos em olhares meigos, muito carinho pelo macio pêlo, e ver a alegria com que TODAS as vezes nos recebem euforicamente, completamente felizes (é mútuo). É ficar triste e preocupada quando algum se sente doente, é acompanhar a vida deles...e dão-nos tanto em troca.
Tenho um carinho muito muito especial por cães.

QUanto ao livro, é isso mesmo, relata as coisas exactamente como são...o comportamento de um cão, neste caso um cão com um comportamento um tanto difícil, que muitas pessoas não suportariam "aturar" nem durante 5 minutos, quanto mais durante uma vida inteira. Também iessa aceitação é uma lição de vida.

Beijinho

16 dezembro, 2006 22:07  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker